Páginas

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Thiago Fragoso sem camisa

Murilo Rosa de calça jeans e sem camisa

 

Rodrigo Hilbert exibindo o corpitcho e surfando!

Felipe Dylon sem camisa na praia

Classificação indicativa inibe beijo gay, diz Walcyr Carrasco

Autor de Xica da Silva (Manchete), Alma Gêmea e Caras e Bocas (Globo), entre outras novelas, Walcyr Carrasco fez sérias críticas ao sistema de classificação indicativa do Ministério da Justiça.
No Twitter, Carrasco classificou a classificação indicativa de "censura" e a comparou à escravidão."As leis existem para serem mudadas. A escravidão já foi lei", afirmou.
O escritor se declarou totalmente contrário ao fato de o governo ter o poder de determinar o horário em que programas de TV vão ao ar. Polêmico, afirmou que a classificação indicativa "não admite algumas coisas", "inclusive o beijo gay" em novelas, que seria um "assunto federal".
Carrasco foi eleito recentemente vice-presidente da AR (Associação dos Roteiristas), entidade que é contra a classificação indicativa. Como autor de novelas das seis e das sete, ele já teve problemas com cenas não aprovadas pela autocensura da Globo.
"Não vejo problema no beijo gay, que está liberado nas ruas. Uma criança pode ver um beijo gay no shopping, mas não na novela!", afirmou Carrasco no Twitter. "A questão da classificação indicativa é que vivemos em um país onde o Estado é que deve tutelar o cidadão. A pessoa não pode decidir o que vê. Por exemplo, eu acho que os pais e as mães têm o direito de decidir o que o filho deve ver ou não. Mas o Estado proíbe em nome da criança", disparou o novelista.
As regras de classificação indicativa estão atualmente sendo revistas pelo Ministério da Justiça, mas a AR optou por não participar dos debates, por uma questão de princípio (não concorda com a interferência do Estado no conteúdo televisivo) e porque considera o assunto de competência das emissoras.
Post de Carrasco no Twitter

Falando besteira

As declarações de Walcyr Carrasco no Twitter foram contestadas pelo roteirista Fernando Marés de Souza. Em seu blog, Souza, que há pouco tempo fora expulso da AR, escreveu que Carrasco está "falando besteira sobre classificação indicativa".
"Walcyr desinforma seu público sobre a classificação indicativa, publicando em seu Twitter que "a grande questão é a classificação indicativa que não admite algumas coisas. Inclusive o beijo gay", afirmou Souza no blog.
"Isso não é verdade. Primeiro, que a classificação indicativa 'admite' qualquer coisa, apenas classifica a faixa etária indicada, e na atual portaria, vincula essa faixa a um horário. Segundo, que 'beijo gay' não é nem nunca foi critério de classificação. As atuais regras da classificação indicativa não fazem distinção entre beijo gay e beijo hetero", escreveu o roteirista.
Ao R7, Carrasco disse que Souza não entendeu o que ele escreveu no Twitter.
"O que eu disse, e que ele  não conseguiu entender, foi que a existência de uma classificação indicativa restringe a criatividade do autor, que não sente-se à vontade para debater temas polêmicos, como o beijo gay", afirmou o autor da Globo.

Fonte: Daniela Castro