Páginas

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O Médico Doutor Guilherme Furtado do programa Mais Você tira a camisa pra tomar vacina

Tirou a camisa pra tomar a vacina.
E mostrou que é peludinho...


Enviado pelo leitor SFD.
Bananas is My Business - Você é quem faz! ;)

Henri Castelli passa bons momentos no Berimbau


Henri Castelli aproveitou sua folga para curtir alguns dias em Nova York, nos Estados Unidos. "Almoço com amigos no restaurante Berimbau, em Nova York", escreveu o ator, que posou para foto ao lado de outros dois amigos, com uma bandeira do Brasil ao fundo.


Longe das novelas desde o fim de "Araguaia", Henri estará no elenco de "O Astro", nova macrossérie da TV Globo, com estreia prevista para julho.

Fonte: Quem


Será que a comida do Berimbau é boa?

Ouça a nova música de Lady Gaga - Hair

Depois da capa e de um trecho da letra, Lady Gaga divulgou nesta segunda-feira, 16, a terceira música de trabalho de seu novo álbum, "Born This Way", chamada "Hair".



. Ouça aqui



Confira a letra:



Whenever I dress cool
My parents put up a fight
And if I'm a hotshot
Mom will cut hair at night
In the morning I'm sure of my identity
I scream Mom and Dad
"Why can't I be who I want to be?"

I've had enough
This is my prayer
That I'll die living just as free as my Hair
Don't let it go
It's my identity
And I'll die living just as free as my Hair

Oh-Oh-Oh-Oh
Living as free as my Hair
Oh-Oh-Oh-Oh
Living as free as my Hair

Wherever I go they stare at me
I won't change it, because of your taste
This is me, this is my Hair
All you could find is under my wig
Whether my hair is my pink
My soul is pink
This is who I am

I've had enough
this is my prayer
that I'll die living just as free as my Hair
Don't let it go
It's my identity
And I'll die living just as

Fonte: Globo

Concurso - Garoto Manhunt 2011

Qual você escolhe?

Bananas Dicas: Luta na Lama

Praticando esporte e tratando da pele ao mesmo tempo.

Lady Gaga e Madonna são primas

Lady Gaga e Madonna são parentes! O genealogista Chris Child disse que as cantoras são primas de nono grau. "Quando eu vi que a Lady Gaga tinha um ancestral franco-canadense, eu pensei que pudesse ter alguma coisa ali", explicou Child em entrevista ao 'Boston Globe". Child fez mais uma revelação: Guy Ritchie, ex de Madonna, é primo de quarto grau do príncipe William.

O próximo a ter sua árvore genealógica feita por Chris Child será o milionário Donald Trump.


Fonte: Globo

Vocalista do McFly, que faz turnê no Brasil, fala sobre mania que músicos do grupo têm de ficar pelados

RIO - Enquanto a maior parte dos artistas famosos corre dos paparazzi, os quatro garotos do McFly querem mais é se mostrar. E pelados. Os ingleses, que fazem shows, a partir desta sexta-feira, em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, posaram nus para a revista gay "Attitude", em julho do ano passado, depois de aparecer várias vezes sem roupa por aí. Em 2006, fizeram striptease no clube londrino G.A.Y.; no ano seguinte, ficaram nus numa apresentação em Belfast; e, em 2007, durante uma entrevista à britânica Radio 1.
- Não sei o que acontece (risos). Só sei que, volta e meia, aparecemos pelados. Isso é coisa dos outros rapazes. Na verdade, é o Harry (Judd, baterista) que gosta - entrega o vocalista e guitarrista Tom Fletcher, em uma conversa por telefone com a Megazine. - A gente curte se divertir. Então, se isso inclui tirar a roupa de vez em quando, tudo bem.


Fonte: Globo

Padre, Militares e Pastores se unem contra homossexuais


Da coluna de Mônica Bergamo, jornalista, publicada no jornal Folha de S. Paulo, 16-05-2011:

ALERTA MÁXIMO

A CNBB e o Exército se mobilizaram para barrar a discussão do projeto que torna crime os atos homofóbicos, de agressão e rejeição a homossexuais.

Cardeais telefonaram para o presidente do Senado, José Sarney, que acionou o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), evangélico.

"Sarney me ligou e disse: "Fica de olho". Pediu que eu acompanhasse o assunto com atenção", diz Crivella.

Que recebeu ligação também do comando do Exército, preocupado com a obrigação de aceitarem homossexuais em seus quadros.

PARALELAS

"Eles [generais] me disseram que os soldados vão para o mato, ficam sozinhos dias e dias, e que pode haver promiscuidade", diz Crivella. O senador pretende apresentar um projeto tornando crime não apenas a homofobia, "mas qualquer sexismo", ou atitude de discriminação fundamentada no sexo, como alternativa a artigos do projeto hoje em pauta no Congresso.

'Salvei o Negão Celso, boiola, da morte', lembra Bolsonaro


"(...) No Exército, tínhamos de passar por cima de uma lagoa. Mas o sargento balançou a corda, e o negão 'catapum' na água! (...) Aí brincavam que só tirei ele d'água para fazer boca a boca", conta Bolsonaro em depoimento
para a seção Quando Eu Tinha a sua Idade,
do Folhateen.
*

Naquela época, existia respeito. Os filhos chamavam o pai de senhor. A gente se borrava de medo, porque todo mundo apanhava em casa.

O irmão mais velho, o Guido, era o disciplinador, o capataz. Pegava o fio de ferro e dava lambada nos irmãos. Sem problema nenhum, ninguém sofreu bullying.

Minha mãe, basicamente, era aquela chocadeira: um filho atrás do outro. Foram três homens e três mulheres.

Conheci o Exército porque Lamarca [militar desertor antiditadura] passou pela minha cidade, atirou em oito policiais militares e feriu um civil. Ele se refugiou lá perto de Eldorado Paulista (SP).

O Exército chegou em 1970 e acampou nas margens da cidade. Aos 15, eu trabalhava tirando palmito por ali. Como conhecia a região, passava informações. Dois anos depois, me inscrevi na escola preparatória do Exército. Fui o primeiro militar da família.

Entrei na Academia Militar das Agulhas Negras em seguida. No primeiro ano, pedi desligamento. Não me adaptei. Mas meu pai não deixou. Olhou para minha cara, levantou o braço e disse: "Vou te quebrar todinho!".

Me formei em 1977. Infelizmente, não participei da luta contra a guerrilha.

Em 1964, lembro de ter ido com minha mãe na Marcha da Família Com Deus Pela Liberdade. Na igreja, os padres pregavam que Deus iluminasse os militares.

Teve gente torturada, sim. Nós não negamos. Você só pode obter informações dessa maneira, é a regra do jogo.

O pessoal da esquerda fazia besteira -carro-bomba, sequestro- e depois se vitimizava. Se o cara matou colega seu, é do ser humano pegar para arrebentar. Hoje, com a cabeça que tenho, faria muito melhor. Tem que eliminar. Guerra é guerra.

Agora vocês falam de homofobia. Naquele tempo, era viadinho mesmo. Só tinha dois gays na cidade. E era para ter muito mais! Minha juventude foi ter a primeira relação com 16, 17 anos. Então, existia uma libido forte.

Você estava atrás de qualquer coisa, e não tinha mulher! Quando aparecia uma menina, era igual cadela no cio, aquele bando de cachorro atrás. Se existisse homossexualismo, acho que vários rapazes fariam. Não acredito nessa história de que a pessoa nasce com isso. A maioria é levada pelos costumes.

Nós desconfiávamos de alguns [gays] na Academia. Quando iam para o chuveiro, brincávamos: "Atenção, fulano está indo tomar banho, vamos lá também!".

Minha relação com os negros sempre foi ótima. Não vou dizer que meus melhores amigos eram negros, mas tive bons amigos negros.

E teve o caso do negão Celso. Em 1978, tinha um exercício em que passávamos por uma corda em cima de uma lagoa. Mas o sargento balançou a corda, e o recruta Celso "catapum" dentro d'água! Agarrei o negão no fundo. Tirei ele pra fora, porque estava morrendo afogado. Eu era um atleta, um cavalo.

Depois me contaram: "O soldado Celso é boiola!". Começou a brincadeira em cima de mim: só tirei o negão para fazer boca a boca. Se fosse racista, eu teria pulado?


Me perguntam: se fosse solteiro, namoraria a Taís Araújo? Lógico que sim! A gente só não gosta da branca feia, negra feia, amarela feia.

Já no meu tempo de moleque, se aceitava qualquer coisa! Se falasse fino, já estávamos prontos para o combate. Na nossa época, o contexto era outro.

Minha primeira vez foi com uns 17 anos. Hoje se chama zona. Compra-se uma ficha e fica na fila. Acontecia com a primeira mulher disponível. A grande preocupação era gonorreia, mas, se você pegava, era marcado pela galera como "machão", "garanhão". Comigo, nunca.

Comecei a namorar no final do quarto ano. Um colega falou: "Bolsonaro, tem uma igreja, tá cheio de menininha lá!". Fui lá. Acabei casando e tive três filhos com ela.

"No primeiro ano, pedi desligamento [do Exército]. Não me adaptei. Mas meu pai não deixou. Olhou para minha cara, levantou o braço e disse: "Vou te quebrar todinho!"

Analisando.....
Algumas coisas são suspeitas e explica algumas coisinhas...


Fonte: FOlha