Páginas

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ricardo Tozzi de sunga e com volume


Atendendo pedidos dos leitores

Marcelo Brou sem camisa

Chris Crocker que ficou famoso defendendo Britney no Youtube vira ator pornô

Lembra de Chris Croker, do vídeo "Leave Britney Alone"? Quando Britney Spears ainda era alvo de várias notícias maldosas sobre sua forma física e seus constantes vexames, ele fez um vídeo - que virou sucesso no You Tube - defendendo aos prantos a sua ídola.

Agora que foi caindo no esquecimento, Chris está tentando recuperar os 15 minutinhos de fama e, para isso, ele se lançou como ator pornô. "Eu não estou me degradando ao mostrar meu corpo. Meu corpo foi desenhado pelo universo e nudez é o meu estilo", disse Chris em entrevista publicada pelo site "Pop Crunch".

Fonte: Globo

Rita Lee fala sobre Homofobia

Divulgado teaser de I wanna go, novo clipe de Britney Spears


Neste domingo, 19, foi divulgado o novo clipe de Britney Spears. Vídeo da música ‘I wanna go’ será lançado no dia 22 de junho. Nesse aperitivo de 32 segundos, Britney aparece em cima de um táxi, atingindo paparazzi com seu microfone.

Fonte: Globo

Pré-escola luta contra estereótipos com boneco assexuado na Suécia

A pré-escola "Egalia", que fica em Estocolmo, na Suécia, mostrou nesta segunda-feira (20) como seus professores costumam trabalhar para não impor estereótipos de gênero sobre as crianças, fazendo com que elas tenham mais liberdade ao escolher sua opção sexual.A instituição, localizada no distrito liberal de Sodermalm, foi aberta no ano passado e está entre os exemplos mais radicais dos esforços suecos para promover a igualdade entre sexos desde os primeiros anos da infância.Detalhes que vão desde a cor e a distribuição dos brinquedos até a seleção dos livros são pensados para que as cerca de 30 crianças da pré-escola não sejam influenciadas, e assim não passem a reproduzir os estereótipos que já existem na sociedade.

Até bonecos pedagógicos chamados de "emotion dolls", que não têm qualquer distinção de sexo, são usados na escola.

"A sociedade espera que garotas sejam frágeis, gentis e bonitas, e que garotos sejam machões, ásperos e extrovertidos. A Egalia lhes dá a fantástica oportunidade de serem quem eles quiserem", afirma Jenny Johnsson, uma das professoras.

Até pronomes como "ele" ou "ela" são evitados na fala dos professores, que preferem usar termos que sirvam para ambos os sexos na língua local.

Fonte: G1