Páginas

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Caiu Na Net : Ryan Kwanten Naked !

Para ver, click aqui!

Mulher desiste de Homem porque ele depilava a bunda

O Rapaz revelou que depilava a bunda, e a pretendente para namorar ele desistiu!

Rafinha Bastos beija Marco Luque na boca, no CQC


Para acabar de vez com a polêmica por conta das piadas consideradas preconceituosas que vira e mexa faz, Rafinha Bastos mostrou ser um rapaz sem preconceito. O apresentador da “CQC” da Band deu dois beijos gays no programa desta segunda-feira (01).

O programa começou mostrando uma reportagem que Bastos fez, repercutindo a recente pesquisa no Ibobe, que informou que 55% dos brasileiros são contra a união estável entre casais homossexuais. O apresentador conversou com homofóbicos e gays e, no final, deu um selinho em um dos entrevistados.

Ao vivo, no estúdio, Rafinha surpreendeu o colega de bancada pedindo um selinho: “Marco Luque, me dá um beijo?”. O comediante foi correspondido logo em seguida pelo colega. A plateia do programa veio abaixo, entre risos e aplausos.

O primeiro beijo gay de um programa de humor foi um dos assuntos mais comentados no Twitter.



Fonte: Extra

A dança do Romário

e sunga branca...

Torcedor do Milan é bulinado e tem a camisa arrancada por outros torcedores

Os tios do Red Hot Chili Peppers sem camisa

Ex-BBB Eliéser de Fantasma

Curiosidade do Dia: Ratinho fica sem camisa no ar para ensinar como fazer o exame de mama



Rede Record censurava reportagens sobre crimes contra LGBT, revela Datena

O apresentador de programas policialescos José Luiz Datena revelou que a Rede Record, sua antiga emissora, o impedia de comentar sobre crimes praticados contra a população LGBT. Em entrevista ao jornal “Agora” do último sábado, 30, Datena disse ainda que era proibido também de falar sobre crimes religiosos.

Esse tipo de censura e a definição da pauta do programa em conjunto com a cúpula da Record, segundo Datena, foi o principal motivo que o fez pedir demissão da emissora do bispo Edir Macedo apenas 43 dias após ter sido contratado. Ele vai voltar à Bandeirantes para reassumir seu “Brasil Urgente” e terá de pagar uma multa de cerca de R$ 25 milhões.

Na Bandeirantes ele poderá voltara a falar sobre crimes contra LGBT.

Fonte: Mix

Corra Lola, Corra: Gays morrendo em Insensato Coração!

Vinícius (Thiago Martins) já mostrou mais de uma vez ser descontrolado e violento, mas provavelmente ninguém imagina do que ele é capaz. Ele se vai tornar um assassino, e a vítima será Gilvan (Miguel Roncato), o jovem protegido de Sueli (Louise Cardoso).
Após o ataque de vândalos ao quiosque, Gilvan resolve fazer uma surpresa para a chefe, enfeitando o local com bandeirinhas, sem que ela veja, durante a noite. Justo no momento em que está distraído com o trabalho, ele não percebe a aproximação de seis tipos suspeitos.
Ao se dar conta, está cercado pela gangue: "Que vocês estão querendo aqui?".
"Te ensinar a ser homem", responde Vinícius. Os outros arruaceiros aos poucos se revelam: Marcos (Marcio Alvarez), Lucas (Cristiano Ximenes), Zé Paulo (Daniel Marques) e dois outros sujeitos mal-encarados. Todos começam a empurrar e bater em Gilvan, que tenta se defender como pode.
Mas Vinícius consegue dominá-lo com uma gravata e jogá-lo dentro do quiosque. Desesperado, Gilvan crava as unhas no braço de Vinícius, deixando arranhões profundos. O mau-caráter se irrita e agrideainda mais o garoto. Os outros se assustam e fogem correndo. Logo depois, os gritos de Gilvan silenciam. Vinícius sai do quiosque com uma expressão dura, mudo. E simplesmente vai embora, sem olhar para trás.

and...

Cresce torcida por morte de casal gay de "Insensato Coração"

Está rolando uma torcida nos bastidores de "Insensato Coração", da Globo, para que o casal Hugo (Marcos Damigo) e Eduardo (Rodrigo Andrade) seja mesmo assassinado por Vinícius (Thiago Martins) no fim da novela. A informação consta no último bloco de capítulos recebido pelo elenco. A coluna ouviu pessoas envolvidas na produção do folhetim das nove que consideram essa morte o único desfecho impactante para o núcleo gay de "Insensato". Ele vem sofrendo censura e cortes de cenas a pedido da direção da emissora. A hipótese de que esse fim trágico seja uma cena falsa para confundir os profissionais que divulgam os capítulos para a imprensa também não foi descartada.

Fonte: Globo/ Folha

Aguinaldo Silva: " O público não aguenta mais viado..."

Nesse período sua vida social acaba. Você nem namora? Há oito anos que eu não durmo com ninguém. Digo, dormir de verdade. Tive uma pessoa por 18 anos e depois outra por sete, mas depois cansei. Gosto de dormir sozinho, atravessado numa cama de casal só para mim. Durante esse tempo todo tive poucos namoricos.

O que mais afasta o público das novelas? O povo não aguenta mais viado em novela. Chega! Tem muito. Tem novela que tem seis viados. As pessoas não aguentam mais isso. E geralmente os gays são todos iguais. São cópias dos héteros, querem casar, ter romance, engravidar e parir um filho nove meses depois. São gays chatos. Outra coisa que está cansando o público é o vilão desenfreado, que faz maldade sem nenhuma justificativa. Faz por fazer. Não é nem psicopata. O bom vilão tem que ser meio canastrão. Tem uma vila que eu adoro, que é a Nazareth Tedesco (personagem de Renata Sorrah em Senhora do Destino), que era engraçadíssima porque tudo que ela fazia dava errado. Eu me inspirei muito no Tom do desenho animado, que tenta há anos tenta matar o Jerry e sempre se dá mal.


Mas em Fina Estampa não vai ter um gay? Tem um só, que é o Crodoaldo Valério, que quem está fazendo é o Marcelo Serrado. Eu fiz questão que fosse um ator hétero porque eu acho que ele vai me surpreender. Antes da novela estrear, já tem gay entrando no meu portal e escrevendo que não viu e não gostou porque eu criei um homossexual estereotipado. Como eu falei antes, acho ridículo tratar o gay como um personagem padrão. Eles tem seus códigos, seu universo. São pessoas diferentes. A graça desse personagem é que ele tem uma paixão devastadora pela Teresa Cristina (Cristiane Torloni), que o trata miseravelmente mal. Alguns gays têm essa mania de venerar as mulheres que o maltratam. Eu queria mostrar esse tipo de gay. As pessoas vão odiá-lo porque vai fazer mil maldades em nome dela, porque ele adora aquela mulher que é um horror, ela é péssima.

Na sua novela não terá o tão esperado beijo gay? Eu estou começando a ficar irritado com essa coisa do beijo gay. Acho que tem uma torcida para que não aconteça, para que o assunto continue durando, mas as pessoas não aguentam esse assunto e se depender de mim ele acabou. A novidade é essa: não vai ter beijo gay em Fina Estampa, pode escrever. Não tem lugar no mundo em que os gays sejam mais ousados do que no Brasil. Aqui os gays não respeitam as fronteiras. Eles chegam no hétero e cantam mesmo, e se colar, colou. Porém, existe essa hipocrisia de você não poder mostrar um beijo gay na televisão. Por debaixo do pano vale tudo, mas publicamente é essa coisa hipócrita. A sociedade brasileira é assim e a tevê não quer correr o risco de perder o público.

A TV Globo foi criticada pelo movimento gay por ter arrefecido o romance entre Eduardo e Hugo em Insensato Coração, Milton Gonçalves foi cobrado pelo movimento negro por ter aceitado um papel de vilão. Como você encara a reação desses grupos? Tem um grupo gay da Bahia que diz que eu sou o inimigo número um dos homossexuais. Dizem que nas minhas novelas os homossexuais são estereotipados. Essas entidades são todas um saco, todas elas tem interesses econômicos, vivem à custa do governo ou daquelas empresas alemães que por má consciência financiam qualquer coisa. Claro que existem negros bandidos como existem brancos bandidos. A cor dos personagens não devia importar para essas entidades. Eles deviam combater as diferenças, mas para eles interessa grifar as diferenças. Se você bota hoje em dia uma bandida disfarçada de enfermeira, trinta sindicatos de enfermagem espalhados pelo Brasil te processam. Aí você tem que se preocupar com a audiência em Rondônia, em Tocantins... E não dá, porque você ainda tem uma novela para escrever.

Fonte: Veja

Uma porção de abobrinhas...
Todo mundo tá de saco cheio com os gays nas novelas. Ok! Mas gay esteriotipado e palhaço na novela dele todo mundo adora e ninguém tá cheio?