Páginas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Jared Padalecki só de bermuda exibindo o corpitcho no Rio




A bermuda descendo e a bunda começando a aparecer...E todos cantam... Menino do Rio... calor que provoca arrepiooo...

Photos: AKM-GSI

Ricardo Tozzi sem camisa em ensaio

Marcelo Faria pelado, nu na peça Dona Flor e seus Dois Maridos

Carlos Machado só de cueca

Volta aos Prazeres do Campo

Calendário com transformistas em cenas clássicas gera polêmica no CE

O grupo “As Transvestidas” lançou no Ceará um calendário com 12 imagens em que atores transformistas aparecem em obras clássicas e cenas populares. Nas páginas dos meses de janeiro a dezembro do “Translendário”, como é intitulado o trabalho, há releituras das pinturas “Mona Lisa” e “A Última Ceia”, de Leonardo da Vinci, e da escultura Pietà, de Michelangelo. A presença da logomarca da Prefeitura de Fortaleza na publicação gerou polêmica na Assembleia Legislativa do Ceará nesta terça-feira (8), mas o município diz que não apoiou financeiramente o calendário. Um deputado estadual considera o calendário um ''desrespeito'' aos cristãos.

“A ideia do 'Translendário' foi fazer um produto com qualidade que pudesse levar uma imagem positiva do universo trans. Uma imagem diferente da lama e da prostituição”, explica um dos idealizadores do projeto, Silvero Pereira.

De acordo com o ator, produtor e professor, o nome diferente para o calendário surgiu para fazer alusões ao objetivo do produto e “às travestis como lendas da nossa cultura”. A escolha das 12 imagens não foi fácil, segundo Silvero Pereira, e discutida em reuniões com os produtores durante os dois anos que o projeto foi idealizado.

“Queríamos uma visibilidade positiva e, com uma boa fotografia, produção e design, pensamos em obras clássicas que fossem referência para as pessoas, que já fizessem parte do imaginário coletivo”, afirma.

Com referências do mundo LGBTT, o mês de agosto do “Translendário” traz, por exemplo, a “Transvênus”, uma releitura da obra “O Nascimento de Vênus”, de Sandro Botticelli. A capa clássica do disco “Abbey Road”, do The Beattles, também é lembrada no mês de julho na versão “Crossdressroad”. A famosa “Mona Lisa”, de Leonardo da Vinci, transformou-se em “Mona”, e a cantora Carmen Miranda é retratada com as tradicionais cores e pose e o título “Disseram que voltei Trans-Operada”.

Segundo o idealizador, foram impressos 400 exemplares que, desde janeiro, são distribuídos em eventos e ONGs ligadas ao movimento LGBTT. O "Translendário" também pode ser comercializado pelo valor de R$ 10, mas a venda está suspensa, de acordo com Pereira, depois que o calendário recebeu críticas na Assembleia Legislativa do Ceará. "Queremos esclarecer qual é o objetivo do nosso trabalho", diz.

Polêmica
O deputado estadual Fernando Hugo (PSDB-CE) apresentou o “Translendário” na manhã de terça-feira (8) no plenário da Assembleia Legislativa afirmando que as imagens o fizeram se sentir desrespeitado como cristão. “Eles [grupo LGBTT] que tanto querem respeito, deviam primeiro respeitar”, disse o deputado em contato com o G1 nesta quarta-feira (9).

Segundo Silvero Pereira, o calendário traz releituras de obras de arte. "Não tem nada a ver com religião. É uma releitura artística, das obras de arte, assim como é feita em outras artes. Michelangelo e Da Vinci nem católicos eram", diz.

Outra crítica do deputado é a impressão da logomarca da Prefeitura de Fortaleza na primeira página dos calendários. Fernando Hugo informou que já entrou com uma ação no Ministério Público pedindo explicações sobre o tipo de apoio dado pela Prefeitura de Fortaleza ao calendário.

“O que é desalentador é que a prefeitura lamenta tanto a falta de dinheiro para investir e destina de modo fácil e rápido recursos para uma publicação assim”, disse o deputado, completando, “é um gasto de dinheiro do povo numa publicação que nada produz de educativo. Quero saber qual o fundamento. Qual o beneficio que ele trará ao povo de Fortaleza?”.

A Prefeitura de Fortaleza informou, por meio da Secretaria de Direitos Humanos, que o Translendário não recebeu apoio financeiro do município e a marca da gestão foi utilizada indevidamente pela organização. "Todo o investimento foi feito pelo grupo (As Trasvestidas) e realizado com apresentações artisticas", afirma Silvero Pereira.

"A ideia de colocar logomarca da Prefeitura foi uma decisão minha em agradecimento às ações e parceiras desenvolvidas pela Coordenadoria da Diversidade Sexual. Por isso, coloquei como apoio", diz. O artista acrescenta que o grupo deciciu retirar a primeira página do calendário que contém a referência à prefeitura municipal.

Segundo o produtor cultural, os valores dos cachês e da renda da bilheteria de espetáculos encenados pelo grupo foram destinados para a produção do calendário que não contou com verba da Prefeitura. O custo do produto, segundo Pereira, variou entre R$ 2.000 e R$ 2.500 e os envolvidos no projeto não cobraram pelo trabalho.
Apesar de criticar a presença da logomarca “Fortaleza Bela” na publicação e criticar a forma como o conteúdo foi apresentado, Fernando Hugo disse não ser contra o público LGBTT ou manifestações pela diversidade sexual. “Porém, como cristão, sem ser piegas ou carolista, posso dizer que os travestis desrespeitaram o mundo cristão”, afirma.

Fonte: G1


Eu no lugar dos cristãos também estaria revoltado. Ficou muito feio e bizarro! rsss...

Só a Pietà que ficou bom.


.

Mais massagistas devem processar John Travolta, diz advogado a site

O advogado Okorie Okorocha, que representa os dois massagistas que estão processando John Travolta por abuso sexual, disse que outras supostas vítimas podem engrossar a ação contra o ator. A informação foi publicada pelo site TMZ nesta quarta-feira, 9.
Os episódios envolvendo os dois profissionais que entraram originalmente com a ação aconteceram em um hotel em Beverly Hills, em Los Angeles. As identidades dos massagistas estão sendo mantidas em sigilo.

Okorocha também revelou ao TMZ que os advogados de Travolta caíram em contradição. Segundo ele, nas conversas inciais com os profissionais, eles confirmaram que o ator estava em Los Angeles em 16 de janeiro, data em que teria acontecido o primeiro abuso.
Nas conversas posteriores, os representantes do ator passaram a dizer que ele não estava na cidade nesse dia.


John Travolta estaria em Nova York no dia de suposto assédio

John Travolta pode ter uma prova de que estava em Nova York - e não em Los Angeles, na Califórnia - no dia em que teria ocorrido o primeiro assédio sexual a um massagista, segundo uma foto e um recibo de restaurante obtidos pelo "TMZ".


Segundo fontes ouvidas pelo site americano, a fotografia e o recibo são do dia 16 de janeiro, data em que o massagista que abriu o processo original afirma que teria ocorrido o primeiro abuso.


Fonte: Globo

Obama declara apoio a casamento entre pessoas do mesmo sexo

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira (9) que apoia o casamento entre pessoas do mesmo sexo, após um longo período sem se proncunciar claramente sobre o tema e de declarações favoráveis do seu vice, Joe Biden.

Em uma entrevista à emissora norte-americana ABC, o presidente descreveu sua posição como uma "evolução", baseada em conversas com membros da sua equipe, funcionários abertamente gays e até mesmo com a sua mulher e filhas.

Devo dizer que ao longo de anos eu venho falando com amigos, família e vizinhos e, quando eu penso em membros da minha própria equipe que estão em relações monogâmicas homossexuais, que estão criando crianças juntos, quando eu penso em soldados, pilotos, fuzileiros ou marinheiros que estão lutando em nosso nome e ainda se sentem constrangidos, mesmo agora quando a Don't Ask Don't Tell [política que proibia pessoas abertamente gays nas Forças Armadas] já não existe, porque não podem assumir suas relações, eu chego à conclusão que para mim pessoalmente é importante seguir e afirmar que casais do mesmo sexo devem poder se casar", disse o presidente em entrevista ao programa "Good Morning America".

Obama enfatizou que esta é sua posição pessoal, e que ainda apoia a ideia de que cada estado norte-americana defina sua própria lei. Mas afirmou que está confiante que os americanos estão cada vez mais favoráveis a casais de gays e lésbicas, citando as próprias filhas.



Carolina do Norte
A entrevista ocorre um dia depois o estado da Carolina do Norte ter aprovado uma lei banindo claramente a união entre homossexuais, tornando-se o 31º estado, de 50, a aprovar uma medida desse tipo.

Um pedido para revogar a emenda à Constituição do estado, aprovada pelos eleitores, começou a circular nesta quarta-feira.
Menos de 24 horas após a aprovação da emenda, mais de 71 mil pessoas tinham assinado o pedido '1 milhão contra a Emenda 1', que circula pelas redes sociais através da plataforma 'change.org', criada por Jenn Halweil, morador de Raleigh, capital do estado.

A medida obteve 61% de apoio dos mais de dois milhões de eleitores que participaram das eleições primárias do estado, uma afluência às urnas significativa em comparação com 2008.

Embora o estado proíba o casamento entre casais do mesmo sexo desde 1996, os promotores da emenda defendiam a necessidade de uma definição clara do casamento na Constituição do estado.

Por sua parte, os opositores enfatizaram que a medida ignora as uniões civis de casais, inclusive heterossexuais, e põe em risco a proteção contra a violência doméstica de algumas vítimas e de seus filhos menores de idade.
'Numerosas leis foram revogadas pela coragem das comunidades que souberam lutar contra estas medidas injustas', destaca o pedido.

Calcula-se que mais de 212 mil casais não estão casados legalmente na Carolina do Norte, mas gozam de benefícios de suas relações domésticas, como seguro médico.
Embora suas ramificações legais ainda sejam desconhecidas, a medida deve começar a ser aplicada no dia 1º de janeiro de 2013.

Fonte: G1


E nas últimas eleições do Brasil foi... que politico lambe mais os evangélicos, para o pastor mandar votar em massa nele...

Enquanto Obama reconhece a comunidade de LGBTs americana em discurso e política pública, Dilma, no máximo, usa a expressão "opção sexual".
.

Empresário que curte ficar de cueca no campo

Brincadeira de Silvio Santos em seu programa gera protesto de entidade gay



O presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira, expressou sua indignação em relação a uma brincadeira realizada no Programa Silvio Santos. De acordo com o ativista, o programa promove "discriminação como entretenimento popular". "Dizem que a idade traz a sabedoria, mas com Silvio, a situação tem sido de demência e desrespeito", disparou.

No último domingo, 6 de maio, o apresentador resolveu fazer uma brincadeira de charadas com os colegas de ofício Ratinho e Tom Cavalcante. As pistas foram "David Brasil", "coça no ânus" e "Léo Áquila". Silvio ficou gargalhando na plateia ao perguntar o que é que "coçava no ânus". Com uma nota de R$ 50 na mão, ele ouvia as mais estapafúrdias tentativas, esperando que alguém desvendasse a brincadeira.

Antes do anúncio da resposta, Ratinho arriscou: "É viadinho?". O apresentador foi para a plateia que disputava o dinheiro com os palpites: "gay", "travesti", "homossexual", "hemorróida", "drag queen". A brincadeira só terminou quando um dos convidados respondeu "bicha".

Marcelo ainda defendeu que o transformista Léo Áquila e o ator e colunista David Brasil exijam direito de resposta. "É um insulto aos LGBT de todo o Brasil e mais ainda aos dois citados que deveriam solicitar direito de resposta ou mesmo indenização por terem seus nomes expostos daquela forma aviltante", avaliou.

Comunidade no Facebook quer unir manifestantes contra a "ditadura gay"

Uma comunidade no Facebook com apenas 72 membros está causando um certo rebuliço por conta de seu intuito: trata-se da "Héteros contra a Ditadura Gay". Segundo o cabeçalho da comunidade, "esse grupo é pra gente organizar e alistar os heteros que não suportam mais toda articulação dos gays. OBJETIVO: COMPARECIMENTO E PROTESTO NAS DELEGACIAS QUE OUSAREM PRENDER UM HOMEM(MULHER) DE VERDADE".

Há uma movimentação para que a comunidade seja denunciada aos dirigentes do Facebook. Ano passado, a empresa anunciou que não iria permitir conteúdos homofóbico, neonazistas ou que incitassem a violência contra qualquer grupo.

O endereço da comunidade é ESSE



Pela maioria das caras do povo que participa lá, só pode ser uma fina irônia...


.