Páginas

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Rodrigo Andrade, José Loreto, Bruno Gissoni, Thiago Martins, Daniel Rocha sem camisa exibindo o corpo

Assim você mata o Papai! O filhinho, o netinho, o Vovô...Hmmm... O Suvaco suado do Rodrigo no ombro do Daniel...

Thiago Martins encoxando José Loreto?

Thiago Lacerda sem camisa na praia

Pedro Andrade exibe abdômen sarado e um pouquinho da cueca

Ouça Aqui - Shakira - Get It Started

So call me, Maybe?

Gerard Piqué de perna aberta e Sergio Busquets sem camisa

Câmara debate na quinta proposta que abre caminho para a 'cura gay'

A Câmara dos Deputados discutirá em audiência pública na quinta-feira, 28, a suspensão de dois dispositivos de uma resolução do Conselho Federal de Psicologia que orientam os profissionais da área a não usar a mídia para reforçar preconceitos contra os homossexuais nem propor tratamento para curá-los.

O projeto, do deputado João Campos (PSDB-GO), líder da bancada evangélica na casa, abre caminho para que psicólogos tratem o homossexualismo como um transtorno. O parlamentar argumenta que as orientações restringem o trabalho dos profissionais e o direito da pessoa de receber orientação.



"Entendo que a matéria não pode ser vista apenas sob a égide de uma única classe profissional, pois alcança a sociedade de uma forma geral. O tema requer um estudo e uma análise aprofundada, levando em consideração os aspectos científicos e também sociais que o envolvem", disse Campos. "Entendo que a matéria também deve ser submetida às pessoas que desejam buscar na psicologia ajuda em virtude de dúvidas quanto à orientação sexual", completou o parlamentar à Agência Câmara.

A proposta de Campos é derrubar dois dispositivos do conselho - o de que "os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades" e o de que "os psicólogos não se pronunciarão nem participarão de pronunciamentos públicos nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica".

A sessão de debate será realizada às 9h30 pela Comissão de Seguridade Social e Família, da qual Campos é suplente.




“EXTERMINIO…..

NINGUÉM FALA SOBRE ISSO, ELES APENAS FAZEM.

E VOCÊS CONTINUAM COM AS SUAS VIDAS IGNORANDO TODOS OS SINAIS AO SEU REDOR.

E ENTÃO UM DIA, QUANDO O AR ESTÁ PARADO E A NOITE CAINDO. ELES VÊM ATÉ VOCÊ.

E É AÍ QUE VOCÊ PERCEBE QUE ENQUANTO ESTAVAM FALANDO DE SE ORGANIZAREM E DE COMITÊS, O EXTERMÍNIO JÁ COMEÇOU. NÃO SE ENGANEM, MEUS IRMÃOS.

ELES NOS ATACARÃO PRIMEIRO. ELES IRÃO FORÇAR “A CURA” SOBRE NÓS.

A ÚNICA PERGUNTA É : VOCÊS SE UNIRÃO A MINHA IRMANDADE E LUTAR ? OU ESPERARÃO PELO INEVITÁVEL GENOCÍDIO? “ELES DESEJAM NOS CURAR, MAS EU DIGO QUE NÓS SOMOS A CURA.

A CURA PARA ESSA CONDIÇÃO IMPERFEITA CHAMADA HOMO SAPIENS.

ELES TEM SUAS ARMAS. NÓS TEMOS AS NOSSAS.NÓS IREMOS ATACAR COM VINGANÇA E COM UMA FÚRIA QUE ESSE MUNDO NUNCA TESTEMUNHOU. TOMAR CONTROLE DA CURA E DESTRUIR SUA FONTE.

E ENTÃO NADA PODERÁ NOS IMPEDIR.”

By Magneto

Madonna - MDNA Tour Backdrop - Justify My Love






Não sei pq mas me lembrou a música da Xanaína


Você faz a Barba da Bunda ?

Homofobia - Irmãos são agredidos ao andarem abraçados em Camaçari; um morreu

Cerca de oito pessoas espancaram na cidade baiana de Camaçari na madrugada do último domingo, 24 de junho, dois irmãos gêmeos que estavam abraçados – e por isso foram confundidos com um casal gay. José Leonardo da Silva, 22 anos, morreu no local, e José Leandro da Silva foi levado ao Hospital Geral de Camaçari com um afundamento na face, mas já recebeu alta.

Eles voltavam do Camaforró, em Camaçari (Grande Salvador), e, segundo a Polícia Civil, foram espancados pelo grupo que desceu de um micro-ônibus ao ver os dois abraçados, o que levou os agressores a imaginar que seria um casal gay.

“Pensaram que eles fossem um casal homossexual. Os agressores e as vítimas não se conheciam e não tiveram nenhuma briga anterior, por isso acho que a motivação seja a homofobia”, contou ao “A Tarde Online” a delegada da 18ª DT, Maria Tereza Santos Silva, completando ainda que “eles alegaram que acharam que era um homem e uma mulher brigando”.

Após as investigações, a Polícia Civil indiciou três das sete pessoas conduzidas para a delegacia. Douglas dos Santos Estrela, 19; Adriano Santos Lopes da Silva, 21; e Adan Jorge Araújo Benevides, 22; foram autuados em flagrante por homicídio qualificado (por motivo fútil) e formação de quadrilha. Diogo dos Santos Estrela, irmão de Douglas, está foragido.

Adriano golpeou a cabeça de Leonardo com um paralelepípedo e usou a mesma pedra para acertar várias vezes a cabeça da vítima. Adan foi o autor dos socos que provocaram o afundamento na face de Leandro. A delegada acredita que se trata de um problema social. “Estamos no século 21 e matar uma pessoa porque é homossexual é um absurdo. Um jovem pagou com a vida porque foi confundido com um gay.”

Fonte: Uol



Um beijo para Bolsonaro e alguns evangélicos!



.

Passiva aproveita da situação - Justin Bieber mostra bundinha, enquanto todo os homens seguram o taco

Madonna mostrando os seios vira Bolo

Fica que vai ter bolo!

Daria uma mordidinha nessa teta da Madonna?

Biscoitinho da discórdia: 'Biscoito do orgulho gay' gera guerra de comentários no Facebook

Uma campanha do biscoito Oreo no Facebook com a imagem de um biscoito com um recheio nas cores do arco-íris --o tradicional símbolo gay-- foi ''curtida'' por mais de 200 mil internautas e com mais de 60 mil comentários.

A imagem do biscoito de chocolate, postada na segunda-feira, aparece acima da data ''25 de junho'' e da palavra ''orgulho'', em referência ao Dia do Orgulho Day, seguida ainda da frase ''Orgulhosamente apoie o amor!''.

O Dia do Orgulho Gay na verdade é celebrado em 28 de junho, mas o mês de junho tradicionalmente é o mês do orgulho gay em diferentes partes do mundo. O biscoito multicolorido foi especialmente criado para a campanha e não está à venda.

A página do Oreo conta com quase 27 milhões de seguidores. A maior parte dos que comentários deixados abaixo da imagem do biscoito multicores foram positivos, mas muitos foram críticos em relação à campanha publicitária.

A internauta Judith Farry deixou o seguinte comentário: ''Obrigado...e esse é o mais LINDo biscoito que eu já vi''. Rebecca Hoffman comentou que ''já não é sem tempo que marcas passem a mostrar apoio às coisas que importam para elas. Todo mundo tem a sua opinião e a Oreo está mostrando a sua''.

PASSAGENS BÍBLICAS

Muitos cristãos evangélicos condenaram a iniciativa postando passagens da Bíblia. Beth Hart afirmou que ''Deus, em seu infinito amor diz que a homossexualidade é sodomia, é uma abominação à luz do Deus divino. O amor é a verdade''.

Alguns deixaram comentários abertamente homofóbicos, como Andy Fischer, dizendo que ''homens brancos, asiáticos e latinos irão reconquistar esse nosso grande país e expulsar os maricas que estão tentando espalhar sua doença na mente de nossas crianças. Oh, que dia feliz seria esse!''.

Basil Maglaris, diretor-assistente de Assuntos Corporativos da Kraft, que possui a Nabisco, empresa que produz o Oreo, afirmou que a imagem do biscoito foi uma homenagem ao Mês do Orgulho Gay.

"Como empresa, a Kraft Foods tem uma história de orgulho em celebrar a diversidade e a inclusão. Nós acreditamos que o anúncio do Oreo é um divertido reflexo dos nossos valores'', afirmou Maglaris.

O anúncio integrou a celebração de 100 anos da Oreo. A companha vem postando novos conteúdos diariamente, para marcar o aniversário.

Muitas grandes empresas enviaram representantes para paradas gays realizadas nos Estados Unidos no último final de semana, entre elas a Bud Light, a Wells Fargo, a Johnson & Johnson e a Coca-Cola.

O anúncio do Oreo já desencadeou outra campanha, uma petição online defendendo a criação real do biscoito arco-íris. Os defensores da iniciativa alegaram motivos ideológicos, bem como de consumo: ''1. Os gays merecem direitos iguais. 2. Ele parece ser delicioso. Por favor, assine aqui e diga que você quer ver o 'Oreo Gay' nas prateleiras muito em breve!''.

Fonte: BBC Brasil

Confira como Homofobia é, e como poderá ficar com a reforma no Código Penal

HOMOFOBIA

Hoje: o preconceito não é crime; Xingamentos podem se encaixar na definição de injúria e o homicídio baseado em homofobia pode ser qualificado por "motivo torpe"

Como ficaria: passaria a valer para a homofobia a mesma pena do racismo: 2 a 5 anos de prisão, além de se tornar crime imprescritível e inafiançável. A pena por homicídio, lesão corporal, tortura e injúria seria aumentada caso a motivação fosse o preconceito