Páginas

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Bunda do Enrique Iglesias em novo Clip

Rômulo Arantes Neto só de sunga com outros Boys

Danilo Gentili veste maiô e fica com o Pau Duro

Tá com o Pênis Ereto,ou é assim mesmo?

Zezé Di Camargo batendo punheta com homens se masturbando ao seu redor !


O cantor Zezé Di Camargo, 49, deu uma entrevista à revista "Sexy" em que fala da família, do assédio das fãs e da fama de mulherengo. "Eu nunca fui um cara assim de pegar uma de manhã e outra à noite", disse ele, que ainda se refere a Zilu como "minha mulher": "È que com essa situação com a minha mulher, as coisas mudaram um pouco. Chega uma idade que você fica mais seletivo, não fica atirando para todos os lados".

Zezé também disse que continua amigo de Zilú, a ponto até de ligar para comentar os resultados de recentes exames de nível de testosterona. "Eu fiz um exame de sangue e peguei os resultados hoje. Todos normais, mas o que chamou mais a atenção foi o exame de testosterona dizendo lá que a média pra um menino de 18 anos é 800. O meu deu 765. O pessoal lá no laboratório ficou impressionado", afirmou. "Eu liguei pra Zilú contando isso e ela me respondeu assim: 'Ah, tá tudo explicado'."

Zezé conta ainda que, quando tinha 22 anos, costumava frequentar cinemas pornôs da região central de São Paulo. "Entrava lá duas horas da tarde e só saía às oito horas da noite", revelou. "Naquela época não tinha o acesso pela internet que se tem hoje. Era no cinema que você via aquilo lá. É impressionante, só dava homem, não tinha uma mulher, só a do filme. Aprendi muita coisa lá!".

 Fase solteira

Zezé contou na entrevista que, agora que está solteiro, quer ter uma balada ao lado do camarim. "Estou pensando, com essa coisa de estar solteiro agora, de exigir uma balada do lado do meu camarim. Então a gente fica tomando a cerveja e ouvindo o 'putz-putz'. Já leva bastante vodca também, porque dizem que as mulheres bebem isso aí e depois não lembram de nada, né?", brinca.

 Bem-humorado, Zezé contou que já foi a boates gays acompanhar shows da filha Wanessa, mas que não passaram a mão na bunda dele. "Na minha não. Passaram na dos outros lá. Tem uns caras bonitos, sarados... Se o sujeito tiver uma tendência ele não sai de lá, não. Passei no teste (risos)". 


Então o Zezé ficava o dia inteiro em um Cinemão batendo punheta e rodeado de homens se masturbando?

Interessante....

E eu só não vou em balada gay pq tem uns homens bonitos e sarados lá! rsss...




Only underwear

Video - Madonna humilhando o filho e Caindo do Palco no MDNA Tour

Na participação no programa da apresentadora Ellen Degeneres , que vai ao ar na próxima segunda-feira, 29, Madonna não aparece sozinha. Desta vez ela levou um dos filhos, Rocco, para participar da entrevista.

Na gravação, a cantora surgiu no palco usando os famosos sutiãs de cone e fez piadas com Ellen. Entretanto, quem realmente pagou mico na edição do programa foi o próprio Rocco. Ele entrou no estúdio e comentou sua participação nos shows da mãe - nas apresentações da "MDNA" ele dança na música "Celebration". O menino ainda, questionado por Ellen, disse que Madonna é realmente uma boa mãe.

Depois disso, ele participou de uma gincana para arrecadar dinheiro para uma campanha contra o câncer de mama. Em um cabine, Rocco ficou sentado sob um balde d'água. Madonna tentou acertar o alvo, mas errou. Já Ellen foi melhor de pontaria e derrubou uma chuveirada em Rocco.







Madonna levou um tombo durante a apresentação da sua turnê "MDNA" em Dallas, no Texas, na noite do sábado, 21. Ela cantava "Like a Prayer" quando escorregou do palco. A cantora rolou no chão e, logo depois, rapidamente se levantou.

Em Breve nos Cinemas

Cansou de levar fora da garota e resolveu investir em um Lobisomem

Cantor Gustavo Lima perdeu a Mala! Se achar, por favor devolver...

Clip dos Ursinhos Carinhosos

Surra de Pica ! Você já tomou?

Deputado quer liberdade para igrejas difamarem os Gays e Lésbicas

Terceiro suplente de deputado federal que assumiu uma vaga na Câmara devido às Eleições deste ano, o peemedebista Victório Galli apresentou um projeto no Plenário da Casa de Leis que garante às igrejas a liberdade – e imunidade – para falarem o que bem quiserem sobre quem desejarem. O Projeto de Lei nº 4500/2012 foi apresentado no último dia 9 e ainda aguarda movimentação.

Na proposta (confira na íntegra abaixo), o deputado federal que entrou no lugar de Carlos Bezerra quer garantir que líderes religiosos possam pregar livremente alegando que “a doutrina da igreja não pode ser condicionada ou patrulhada pelo Estado nem por qualquer outro grupo social” – grupo social como os LGBT, principal alvo de ataque dos religiosos extremistas.

 Galli, que atuava como assessor especial da Casa Civil, é o terceiro suplente da coligação PMDB-PT-PR. Porém, o primeiro suplente, Ságuas Moraes, abriu mão de assumir pois atualmente é o secretário de Saúde do Estado de Mato Grosso. A segunda suplente, Serys Slhessarenko, também preferiu se manter afastada depois de um acordo com os peemedebistas.

 Confira a proposta na íntegra:
Confira a proposta na íntegra: PROJETO DE LEI Nº PL 4500/2012 09/10/2012 (Do Sr. Victório Galli)

Acresce inciso IV ao art. 142 do Decreto-Lei nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940 e garante a liberdade de expressão religiosa.

 O Congresso Nacional decreta:

Art. 1º Esta Lei garante a liberdade de expressão religiosa quanto a questões envolvendo a sexualidade.

Art. 2º Qualquer pessoa, em virtude de crenças religiosas, poderá expressar sua opinião sobre temas relativos à sexualidade.

Art. 3º Os líderes religiosos de qualquer denominação poderão ensinar a doutrina professada pela sua igreja quanto à sexualidade, de acordo com os textos sagrados por ela adotados.

Art. 4º Fica acrescido o inciso IV ao art. 142 do Decreto - Lei nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940, com a seguinte redação: “Art. 142..................................................................................................................................................................... IV – a manifestação de crença religiosa, em qualquer modalidade, acerca da sexualidade. .....................................................................................”

Art. 5º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICAÇÃO

O objetivo desta proposta é garantir o direito constitucional de livre manifestação do pensamento, nos termos consagrados no art. 5º, IV e V, da Constituição Federal.

Esses incisos garantem, não apenas a liberdade de manifestação do pensamento, como também asseguram a inviolabilidade da liberdade de consciência e de crença, do que decorre o livre exercício de culto religioso e a proteção dos locais de culto e suas liturgias.

Esse direito constitui cláusula pétrea, não podendo ser restringido nem mesmo por meio de proposta de Emenda à Constituição, conforme preceitua o seu art. 60, § 4º, inciso IV, já que envolve direitos e garantias individuais.

Em acréscimo a esse argumento, o art. 19, inciso I, da Constituição Federal também veda à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios “estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público.” (grito nosso)

 O cerceamento da liberdade de expressão durante a realização dos cultos representaria interferência indevida do poder público na atividade das igrejas, impedindo o pleno funcionamento dessas cerimônias e rituais religiosos, em ostensiva violação do mandamento constitucional.

Além do direito de livre manifestação do pensamento garantido a qualquer do povo, busca-se com esta proposta assegurar também o direito de líderes religiosos de qualquer denominação de professarem, nos púlpitos ou em outro lugar, a doutrina de sua igreja, conforme os textos sagrados pertinentes a sua religião.

Essa regra decorre do art. 5º, inciso VI, da Constituição Federal, segundo o qual “é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e sua liturgias”.

 Assim, a doutrina da igreja não pode ser condicionada ou patrulhada pelo Estado nem por qualquer outro grupo social, devendo-se respeitar a liberdade de crença, o que envolve o direito de professar livremente os ensinamentos dos textos sagrados seguidos pelas diversas denominações religiosas.

Não se pode também considerar injúria ou difamação a manifestação de crença religiosa acerca de questões envolvendo a sexualidade, tendo em vista os ensinamentos doutrinários decorrentes de textos religiosos adotados pelas diversas profissões de fé.

 Esta proposição visa, portanto, assegurar os direitos e garantias individuais estabelecidos pela Constituição Federal no que diz respeito à liberdade de consciência e de crença.

Sala das Sessões, em de de 2012. Deputado VICTÓRIO GALLI


Fonte: MixB.