Páginas

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

One Direction metendo a mão nas partes íntimas um dos outros em OnePiece


Diversão & Trabalho lado a lado! ;)

Chega de mesmice! Criatividade em posições sexuais !

Dicas para indústria porn

Lance Franklin, o jogador de Rugby, só de cueca em fotos íntimas

2012 Movie Trailer Mashup

Rafael Alencar só de cueca exibindo todos os seus Musculos...

O Gato do Minhocão !




P.S: So Sorry, but... eu ri de toda essa situação! rsss...



Estudante gay é agredido por fisiculturistas em SP



Jovem teve o rosto desfigurado após ser atacado; agressores ainda ameaçaram pessoas que registravam a violência com celular.


Para ver o video da reportagem clica aqui!

Depois vem DePUTAdozinho e Pastorzinho dizer que no Brasil não tem homofobia, é pura invenção dos Gays! Aham.......



Deixaria esse preso passar pelo seu Buraco Apertadinho?


Preso tenta fugir, mas acaba entalado em buraco na parede da cela em GO


Caso aconteceu na noite de segunda-feira (3), em presídio de Ceres. Segundo a polícia, outro detento conseguiu fugir e não foi recapturado.

Madonna: ataque de diva no Rio e chegada em SP com a turma desfalcada


Madonna desembarcou em São Paulo nesta terça-feira, mas parte das suas crias ficou no Rio de Janeiro. Não muito fã da pauliceia, ela preferiu deixar base fincada na areia carioca. Só Rocco, que faz um número ao lado da mãe nos shows, está na cidade. David Banda e Mercy James continuam no Hotel Fasano, no Arpoador.

* Madonna estava um pouco acelerada depois do show domingo no Rio e tirou os policiais militares que faziam o seu comboio do sério. Durante o trajeto de volta do Parque dos Atletas para o hotel Fasano, a diva pop reclamou da lentidão, deu ordens para o seu motorista ir mais rápido e ultrapassar os batedores. Como o seu condutor não teve sucesso, ela desceu do carro e deu um pito geral. Resultado? Os PMs simplesmente foram embora e M. terminou o percurso sem o apoio policial.

* Ela também está dando dor de cabeça para a embaixada americana pois quer visitar uma favela – não pacificada – antes de deixar o Brasil. Todos ainda estão respirando fundo…



Fonte: Glamurama

CQC - Política, Cura Gay

After School Special - Uncensored

Mudança de sexo de estrela de Hollywood completa 60 anos

Em 1952, o tímido ex-soldado George Jorgensen deixou os EUA estarrecidos ao voltar de uma viagem à Dinamarca transformado em uma loira glamourosa - Christine.

A transformação, que acaba de completar 60 anos, foi resultado da primeira operação de mudança de sexo bem-sucedida realizada pela medicina moderna - e combinada, também de forma pioneira, com terapia hormonal.


Após voltar aos EUA, Christine Jorgensen tornou-se uma atriz de relativo sucesso em Hollywood, o que deu ainda mais repercussão a seu caso. Nos anos 30, uma tentativa de fazer uma operação de mudança de sexo em Berlim havia terminado com a morte do paciente. As lições tiradas dessa experiência, porém, serviram como ponto de partida para a equipe dinamarquesa que operou Jorgensen.

História pessoal 

"Ex-soldado vira beleza loira", anunciava a manchete de um jornal americano quando Jorgensen voltou da Dinamarca.

Jorgensen mal lembrava o tímido nova-iorquino que deixara o país meses antes. Havia se transformado em uma mulher esbelta de 27 anos, com lábios vermelhos e cílios longos e desceu do avião vestindo um casaco de pele.

Jorgensen crescera no Bronx, em Nova York, e desde que era adolescente sentia que era uma mulher "presa" no corpo errado.

"O jovem Jorgensen não se identificava com um homossexual, mas com uma mulher", diz o médico dinamarquês Teit Ritzau, que conheceu Jorgensen ao fazer um filme sobre a atriz nos anos 80.

 No final do 1940, durante um curto período no Exército, Jorgensen leu um artigo sobre o médico dinamarquês Christian Hamburger, que estava fazendo experiências com terapia hormonal em animais.

Como os pais de Jorgensen eram dinamarqueses foi fácil justificar a viagem e, em 1950, o ex-soldado desembarcou em Copenhague sem contar a ninguém sobre suas reais intenções.

"Estava um pouco nervoso porque muita gente dizia que eu era louco. Mas o doutor Hamburger não parecia achar que havia nada estranho no que eu queria fazer", Jorgensen lembrou em uma entrevista.

Cirurgia 

Hamburger foi o primeiro médico a diagnosticar Jorgensen como transexual e o encorajou a assumir sua identidade feminina e a se vestir como mulher.

Antes da cirurgia, o paciente tomou hormônios, que logo começaram a fazer efeito.

"O primeiro sinal de mudança foi um aumento no tamanho das glândulas mamárias. Depois, começou a crescer cabelo aonde o paciente tinha uma ligeira calvície", o médico notou.

Jorgensen também foi avaliado durante sua transformação pelo psicólogo Georg Sturup, que apresentou uma petição ao governo dinamarquês para uma mudança legal que permitiria a operação.

Depois de mais de um ano de terapia hormonal, Jorgensen foi submetido à primeira de uma série de cirurgias que o transformariam em Christine.

Exatamente o que foi feito nesta operação não está claro - e certamente desde então a técnica de reconstrução dos órgãos sexuais dos pacientes submetidos a cirurgias desse tipo evoluiu bastante.

"Mas a operação foi suficientemente bem-sucedida para deixar Jorgensen satisfeita", diz Teit Ritzau. "E aparentemente não houve complicações ou efeitos colaterais importantes em função do tratamento - o que é surpreendente para a época."

Vida pós-operação 

Em seu retorno para os EUA, Christine Jorgensen foi recebida com fascínio, curiosidade e respeito pelos meios de comunicação e o público americano.

Sua família também parece ter apoiado sua decisão. "A natureza fez um erro que eu corrigi - agora sou sua filha", Jorgensen escreveu para os pais após a cirurgia.

Jorgensen foi acolhida por Hollywood e iniciou uma carreira como atriz. Foi convidada para inúmeras festas, assinou contratos para atuar no cinema e no teatro e foi coroada "mulher mais glamourosa do ano" pela Sociedade Escandinava de Nova York. Nos anos 60 e 70 também rodou o país fazendo shows nos quais cantava. "Acho que todos queriam dar uma olhada (nos resultados da transformação)", disse, certa vez.

 Ela teve menos sucesso na vida pessoal. Seu primeiro relacionamento sério foi rompido logo após o noivado.

No seguinte, Jorgensen foi impedida de se casar quando mostrou seu certificado de nascimento no cartório. "A sua vida teve altos e baixos e ela teve um pequeno problema com álcool, mas no final era uma pessoa muito simples.

Certa vez me disse que sua melhor companhia era ela mesma," diz Ritzau, comentando sobre a aparente solidão da atriz. Jorgensen morreu de câncer aos 62 anos, em 1989.

Anos antes, voltou à Dinamarca para encontrar os médicos que permitiram sua transformação. "Não começamos a revolução sexual, mas lhe demos um bom impulso", disse na ocasião.

Fonte: BBC