Páginas

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Kayky Brito sem camisa exibindo o corpo malhado


Henry Cavill, Pelado / Nu, em The Tudors


Príncipe Harry defende Soldado Gay de ataque homofóbico

Um ex-companheiro do exército britânico agradeceu o príncipe Harry por salvá-lo de seis soldados que ameaçavam atacá-lo por conta se sua sexualidade no Canadá em 2008.

James Wharton, que trabalhou com o príncipe durante exercícios militares, escreveu sobre o incidente no livro "Out in the Army", segundo informou o jornal "Daily Mail".

Wharton contou que, durante os quatro meses em que esteve no Canadá, sofria ameaças de seis soldados até que decidiu informar Harry sobre o que estava acontecendo.


"Eu disse para ele: 'Eu acho que estou prestes a ser morto pela infantaria'. Eu falei para o Harry exatamente o que acontecia. Ele estava com um olhar de espanto em seu rosto. Eu não conseguia conter as lágrimas", afirmou o soldado.

Após ouvir as queixas, o filho do príncipe Charles teria dito que tomaria providências. "Ele disse: 'Eu vou resolver essa merda de uma vez por todas'".

O príncipe teria saído e retornado logo em seguida. "Ele voltou 10 minutos depois e me disse que o problema estava resolvido".

Wharton deixou o exército no início de 2013 e disse ter uma enorme dívida de gratidão. "Sempre serei grato ao Harry e nunca esquecerei o que aconteceu", afirmou.

Fonte: FOlha

Evangélicos agridem Pastor confundido com Ativista Gay


Pastor da Igreja Quadrangular é confundido com ativista gay e é retirado à força do palco durante manifestação organizada por Silas Malafaia em Brasilia.

Ao ser confundido com uma ativista do movimento gay, um pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular foi retirado à força do palco da “Manifestação pela liberdade de expressão, liberdade religiosa e família tradicional” – ou marcha homofóbica – organizada pelo pastor Silas Malafaia na tarde da última quarta-feira (05) em frente ao Congresso Nacional, em Brasília.

O motivo da expulsão, foi o fato de o pastor estar portando uma bandeira de sua denominação, que é formada pelas cores roxa, vermelha, amarela e azul e teria sido confundida pelos seguranças do evento com a bandeira arco-íris, um dos símbolos do movimento LGBT.

Após a retirada do pastor da Quadrangular, representantes da igreja esclareceram aos organizadores do evento que o homem forçado a deixar o local é religioso e destacaram que ele apenas segurava a bandeira símbolo de uma congregação evangélica.

Fonte: Pragmatismopolitico


Sentindo na Pele...