quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Qual a real ameaça de Donald Trump e Mike Pence para os Direitos dos Gays Americanos ?

A militância LGBT norte-americana começa a se preparar para várias batalhas ferozes nos anos que se seguem, agora que, concluídas as eleições presidenciais dos Estados Unidos, os republicanos mantiveram o controle do Congresso e Donald Trump foi eleito presidente.
Em janeiro, quando Trump tomar posse, o partido Republicano terá o controle dos poderes executivo e legislativo, algo que não acontecia desde 2005. Isso significa que seus oponentes do partido Democrata terão poucas maneiras de impedir os ataques do partido mais conservador contra os direitos LGBT. Durante a administração de Barack Obama, o presidente utilizou ações do Executivo para segurar ações do Congresso que visavam sabotar a igualdade – algo que Trump prometeu não fazer.
O programa do partido Republicano, aprovado em julho desse ano, apresentava medidas hostis à população LGBT num nível que não se via em várias décadas. A plataforma se opõe à adoção por casais homoafetivos e à possibilidade de crianças serem criadas por dois pais ou duas mães; se opunha à proibição da “cura gay”; e apoiava projetos de leis que defendem medidas de “liberdade religiosa”, a fim de minar leis contra discriminação.
Donald Trump não divulgou qualquer plano a respeito dos direitos LGBT, tampouco ofereceu qualquer proposta para o combate do HIV/AIDS. Se no passado apresentava-se como alguém tolerante quanto às questões LGBT, durante a campanha o futuro presidente dos EUA adotou várias plataformas derivadas das propostas mais conservadoras de seu eleitorado evangélico.
Seu vice-presidente, Mike Pence, já confirmou que pretende destruir medidas que Barack Obama havia instituído no governo federal norte-americano para proteger LGBTs, como parte de uma reavaliação “imediata” das ordens executivas emitidas nos últimos oito anos.
Trump também prometeu assinar a Lei pela Defesa da Primeira Emenda, que pretende permitir formas de discriminação contra LGBTs tomando por base a crença religiosa. Em um discurso feito para grupos católicos, o candidato confirmou que não vetaria essa lei, que proíbe que o governo tome qualquer “ação contra uma pessoa se o indivíduo estiver agindo ou acreditar estar agindo de acordo com uma crença religiosa ou convicção moral de que o casamento é ou deveria ser reconhecido como a união entre um homem e uma mulher”.
Essa lei, redigida de propósito com termos vagos, praticamente legaliza a discriminação religiosa contra pessoas LGBT em todos os setores, seja no mercado de trabalho, seja no comércio, seja na saúde, proibindo a interferência do governo. Se essa lei for aprovada, Trump e Pence serão obrigados a anular uma ordem executiva feita por Barack Obama em 2014, que extende as proteções contra a discriminação antiLGBT para empresas que prestam serviço para o governo.
Mike Pence confirmou que pretende fazer exatamente isso, e prometeu que pretende abolir as medidas que Obama havia tomado com relação aos direitos LGBT, para que a “questão do uso dos banheiros por pessoas transgênero possam ser resolvidas com bom senso localmente”.
A vitória do partido Republicano significa que a Lei da Igualdade – um projeto de lei que complementaria a Lei dos Direitos Civis de 1964, para que finalmente fosse proibida a discriminação por identidade de gênero e orientação sexual em todo o país – desceu pelo ralo.
Os planos de Donald Trump para a Suprema Corte dos EUA também acende o alerta vermelho para os direitos LGBT. Durante sua presidência, é bem provável que ele venha a indicar dois ou três novos juízes do nível mais alto do poder judiciário norte-americano, onde as batalhas pelos direitos LGBT vêm sendo decididas por votações de 5 votos contra 4.
Durante os debates presidenciais, Trump afirmou que indicaria juízes como o então falecido Antonin Scalia, que se opôs à descriminalização da sodomia e emitiu um voto contra a legalização do casamento homoafetivo nos Estados Unidos. A lista de possíveis indicados que Trump divulgou para substituir o falecido juiz contém apenas candidatos conservadores que se opõem às causas LGBT. Enquanto candidato, ele também já afirmou que “consideraria” fazer uso dessa indicação para abolir o casamento homoafetivo no país.
Caso se estabeleça uma maioria contra a causa LGBT na Suprema Corte dos EUA, um precedente prejudicial aos direitos LGBT pode se estabelecer por décadas, não apenas por quatro anos. Várias questões ainda devem chegar à Suprema Corte – desde os direitos de pessoas transgênero, até proteções contra discriminação, e ramificações da decisão a favor do casamento homoafetivo de 2015 – e possivelmente sofrerão reveses. Trump já se declarou a favor de leis locais que discriminam contra pessoas transgênero, mas não se posicionou quanto a essa questão em nível nacional – ainda.
Fonte: LadoBi

24 comentários:

  1. E o vice é evangélico e se diz "cristão"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os crentes estão entrando na política com tudo

      Excluir
  2. Muito alarmismo, muita ideologia, pouca racionalidade...

    Trump, até por seus histórico pessoal, me parece uma pessoa livre em relação ao sexo.Não acho que ele esteja empenhado em atrapalhar a vida da comunidade gay, se houver um retrocesso isso se dará através de deputados e senadores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembre-se de suas palavras...

      Excluir
  3. Qual o problema dessa parcela da sociedade gente, qual a dificuldade de todos, tanto os LGBTs, HT, índios,negros,caucasianos...
    conviverem em conjunto se respeitando, sei que essa ideia parece utópica mas é tão triste ver essa realidade ao qual estamos submetidos a viver ou ao que parece sobreviver, pois a cada dia às coisas apenas piora.

    ResponderExcluir
  4. É por isso que eu digo que eu não dou a mínima pra nenhum político, cago e ando pra todos, seja aqui, seja lá, pois são todos falsos, hipócritas, absurdos, não existe isso de direitos para nós, nem nunca existirá, assim como não existe para negros, é só um movimento superficial, um verniz pra enganar, o fato é que não podemos depender deles pra nada, devemos viver de uma forma a não depender e a não dar espaço para que nos persigam (sim, ser discreto é bom). Claro que há uma ligeira melhora, um ligeiro verniz de aceitação, mas nunca seremos aceitos totalmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa de ser boba mona! Quando falarem merda para voce diga que os homens brasileiros são MAMADORES DE PICAS DE TRAVESTIS PROFISSIONAIS!

      SOMOS TÃO PROFISSIONAIS QUE EXPORTAMOS O NEGÓCIO!!!!

      CONTRA FATOS não tem discussão!!

      Excluir
    2. Se depender de gnt como vc, realmente...

      Excluir
    3. Tmbm não dou importância a políticos, vivo a minha vida como quero é faço o que eu quiser! Nenhum ser humano tem moral pra apontar o dedo pra mim, um ser humano que caga e sente dor como eu, ser melhor que eu? kkkkk mas não me abaixo mesmo! ... Política tá uma palhaçada,que isso, parece que pra ganhar votos tem que ser polêmico. Lutar pela família? Hetero jura que são sempre fiéis... SQN

      Excluir
    4. Isso, banca a vadia livre... Mas quando chegar um dia em q te deem uma lampadada na cara, e vc n tiver direito algum pra te defender, n reclame.

      Excluir
  5. São várias. As piores na minha opinião é permitir o preconceito através de religião, donos de comercios expulsar LGBT do local e LGBT serem demitidos de seus empregos apenas por serem LGBT

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente, será uma longa noite. O mundo dando uma guinada contra minorias e as classes menos favorecidas. Durante os tempos de liberdade e garantia de direitos, as ONGs e os defensores da causa gay levantaram bandeiras absurdas, abriram vários fronts de luta de forma radical e tentaram impor um vocabulário ridículo a todos. Em um momento como o atual, deveríamos contar com a simpatia e a compaixão de parte da população que tivesse sido convencida e não forçada a aceitar. Quantas casas teremos que voltar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tadinha! Como se tivéssemos puladas MUITAS.

      ACORDA ALICE.

      TAMOS NA MERDA FAZ TEMPO!

      E SIM O PT É CULPADO TAMBÉM!

      OU SE ESQUECEM DA PIADA ESCROTA DO LULA SOBRE PELOTAS???

      Excluir
    2. Quem aqui tá defendendo PT??? Esquizofrênico!!

      Excluir
  7. Uma nova era das trevas vem por ai...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada disso! As energias positivas vem banhando o planeta desde Dezembro de 2012!!!

      PODE CONTAR!

      Excluir
  8. Pior que isso é saber q muitos gays apoiaram esse cara... é tipo a vitima apoiando o acusado... as pessoas tao loucas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NADA DISSO.

      AS "ELEIÇÕES" SÃO TUDO TRUQE.

      TANTO AQUI COMO LÁ!

      Pesquise sobre "Diebold urnas fraude".

      Excluir
    2. Bem típico de gay que não se aceita é que vota num cara desse. Bem lamentável. Penso assim o cara não precisa se assumir pra todos, mas precisa se aceitar desde o início. Aceitar pra si mesmo. Melhorar a auto estima, pensar em você mesmo. Gay no Brasil sempre vota em preconceituosos tmbm. E tem muita gay que adora ficar babando mulher sendo pano de chão delas lamentável isso. Vamos ser mais auto suficientes. As vezes acho que sou o único gay que não tem amiga como mulher, muitas delas não concorda com gays, muitas delas ainda dão em cima de mim, mesmo algumas sabendo de mim, elas querem Bjo e até sexo, dão em cima mesmo e eu levo na brincadeira.... Tenho amizade só com homens mesmo, não tenho paciência com mulher mais

      Excluir
  9. Como tem gente que apoia um cara desses.. Triste, muito triste o futuro que nos aguarda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom comparado a ela, ele é um "santo".

      Excluir
    2. Trump e poço de preconceito isso sim!

      Excluir
  10. Pois é, vou começar a comprar umas roupas de época, pois aparentemente estamos voltando para a Idade Média... Tô em dúvida entre algo q combine com a corda da forca, ou algo que reluza no fogo da fogueira...

    ResponderExcluir
  11. espero que vcs estejam cientes q o trump é so um babaca manipulador de massas as piores coisas estão por vir das pessoas atrás dele e seus apoiadores, conservadores de extrema direita.

    ResponderExcluir