segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Mapa do Brasil mostra os Estados mais atingidos pelo HIV / AIDS

Parece que a HIV não tem muita lógica por onde ela se espalha!
Não dá pra relacionar educação/desenvolvimento/população com HIV. 


 

47 comentários:

  1. Uma coisa que precisa SER MUITO BEM DIVULGADA quando há um post desses e que esses índices não costumam ponderar, o que configura um ato irresponsável é:

    1. Será que as regiões com maiores incidência e prevalências não o são, pois as populações dessas áreas procuram mais os serviços de saúde para verificar seus status de sorologia para o HIV?

    2. Será que as regiões com maiores incidência e prevalências não o são, pois, nessas áreas, as técnicas de diagnóstico são mais difundidas, há mais tecnologia e investimento para efetivá-las?

    3. Será que as regiões com menores incidências e prevalências não o são, pois as populações dessas áreas não tem acesso a serviços de saúde da mesma maneira que os das outras regiões conseguem ter?

    4. Será que as regiões com menores incidências e prevalências não o são, pois existem poucos serviços de diagnóstico, tratamento e prevenção por habitante nesses locais?

    5.Será que as regiões com maiores incidências e prevalências não o são, pois, nessas áreas, existem investimentos, mão de obra, campanhas, mídia e incentivo mais eficazes para motivar as populações a buscarem pelos serviços de saúde para realizarem exames anti HIV?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita colocação, embora os fatores de urbanização e superpopulação sejam cruciais para que a incidência em centros urbanos seja maior.

      Excluir
    2. Disse tudo, fácil colocar por regiões sem colocar os dados referentes ao acesso à saúde de base, que é a que cuida efetivamente dos portadores.

      Excluir
    3. Duvido que se os índices mais baixos fossem apresentados pelos estados do Sul e Sudeste você estivesse fazendo essas ponderações. Provavelmente diria: "como são estados mais desenvolvidos, a população é mais consciente e o controle mais eficaz".

      Excluir
  2. A lógica que vejo é povo gato ou gostoso... cariocas, catarinenses... muitas praias, muitos turistas... muito sexo !Pode ver que lá pelos interiores a taxa é baixa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então como tu explica Roraima sendo um dos estados que mais antigidos?

      Excluir
    2. Roraima mata mais mulheres que o Espírito Santo.

      Deve ser por aí!

      Violência até no sexo.

      Excluir
  3. Quer dizer que as manas do Sul estão tudo doce e nós do nordeste menos que elas? Logo a Bahia que é taxada de promíscua... vai vendo essas machistas do Sul !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não necessariamente... Pode significar que a população desse área não procura o diagnóstico da doença.

      Excluir
    2. Não, gata, não se engane!

      Esse post é até um pouco irresponsável, pois não pondera sobre algumas questões.

      O que essa notícia pode estar ressaltando é que os estados do sul têm políticas públicas de saúde que motivam mais a população a buscar os serviços de saúde sempre que se expõe a situações nas quais pode ter sido infectada. Além disso, essas regiões podem ter maior facilidade de acesso aos serviços de saúde de um modo geral e, também, ter técnicas de diagnóstico, registro e referenciação mais eficazes que outras regiões.

      Então, não tem como dizer que uma região é mais "perigosa" que outra, pois isso, sequer foi levado em consideração pela notícia... ela cabou ficanodo tendenciosa e até um pouco xenofóbica, sob esse ponto de vista....

      Excluir
  4. Só a despreocupação com a saúde

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente na hora H, na empolgação do momento de alguns minutos de prazer, muitos esquecem que o transtorno pode levar uma vida toda.

    ResponderExcluir
  6. Detalhe que comeram um estado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. coitado do ES, sempre esquecido pela mídia

      mas na minha opiniao é um dos melhores Estados do Brasil...

      Excluir
    2. Nope.
      o Espírito Santo ficou em branco porque tem baixa incidência, é o oposto do Rio G do Sul.

      Excluir
    3. É O melhor estado do Brasil, pois vivo aqui! ;)

      Nõs estamos sempre nos melhores lugares de qualidade de vida, renda per capita, etc.. Temos bons números. E o segundo melhor clima DO MUNDO fica aqui também.

      É um povo provinciano pra cacete, mas é bom de se viver. Principalmente a capital!

      Onde vivo.

      Mas acho que é porque o povo não trepa muito não... Tudo muito "família". Mas não posso opinar sobre um assunto que não conheço de perto, pois não saio no mundo gay, barzinhos, lugares de pegação.

      QUANDO saio é para ir pra raves. E em raves a putaria é mais contida.

      Sei que somos também campeões em violência contra mulheres. E violência em geral.

      Excluir
    4. Monotemática pelo visto segue sem tratamento psiquiátrico.

      Excluir
    5. Acho q só pelos índices de violência já dá pra dizer q n é o melhor...

      Excluir
  7. Lógico que dá para relacionar com a educação!
    Aí diz que é por diagnóstico, deve ter área que as pessoas nem tem cesso ao exame para saber se tem ou não a doença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nosso sistema de saúde (ES - um com os menores índices) é "bom". Comparado com o resto do país.

      Não é por aí não...

      Excluir
    2. Ele n se referiu especificamente ao ES... Acredito q quem se adéqua mais ao q foi dito, são as regiões carentes do Norte e Nordeste.

      Excluir
    3. Exatamente, e além de ser possível relacionar, é necessário para que se possa averiguar se essa "educação" está sendo produtiva, e reformá-la caso necessário.

      Excluir
    4. Se estiver relacionado à educação, Roraima deve ser um berço de conhecimento... hehehe

      Excluir
  8. Concordo na questão da educação é impossível c dizer independentemente da região q esse assunto ñ é tratado... Sou exatamente do Rio Grande do Sul e o sistema de ensino proporciona muitas palestras durante o ano letivo para o desenvolvimentos de debates sobre o assunto... Acho q é mais por só fuder aqui chove GP em qualquer esquina tem um

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso influencia a população a buscar os serviços de saude com maior frequencia sempre que se expor ao risco

      Excluir
    2. então, Roraima possui alto nível de educação sexual nas escolas?!?!?!

      Excluir
  9. Há muito tempo eu soube que o Rio Grande do Sul é o estado com o maior número de infectados, só não sei ao certo qual é a explicação pra isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Machismo. Safadeza!

      Querem dar o cu "no pêlo".

      Mutios garotos de programas/travestis sabem que tem clientes que PAGAM MAIS para transar SEM camisinha.

      Excluir
    2. Lembrando que HIV não se contrai apenas no sexo, o uso de drogas injetáveis tbm viabiliza a contração...

      Excluir
    3. técnicas de diagnóstico mais eficazes, políticas públicas de saúde mais eficazes, populaçãoo busca mais os serviços de saúde atrás de exames e diagnósticos...

      Excluir
    4. Não, gata, não se engane!

      Esse post é até um pouco irresponsável, pois não pondera sobre algumas questões.

      O que essa notícia pode estar ressaltando é que os estados do sul têm políticas públicas de saúde que motivam mais a população a buscar os serviços de saúde sempre que se expõe a situações nas quais pode ter sido infectada. Além disso, essas regiões podem ter maior facilidade de acesso aos serviços de saúde de um modo geral e, também, ter técnicas de diagnóstico, registro e referenciação mais eficazes que outras regiões.

      Então, não tem como dizer que uma região é mais "perigosa" que outra, pois isso, sequer foi levado em consideração pela notícia... ela acabou ficando tendenciosa, irresponsável e até um pouco xenofóbica, sob esse ponto de vista....

      Excluir
    5. Sim. Mas são poucos os casos. A maioria absoluta é através do sexo mesmo.

      E muitos deles são de adolescentes e jovens.

      Esse povo é tudo usuário de drogas injetáveis? Lógico que não!

      É PUTARIA mesmo.

      Excluir
  10. cadê o ES????

    Espirito Santo nao faz parte do Brasil???


    Estado sempre esquecido pela mídia, mas na minha opiniao Vitória é uma das melhores cidades do Brasil...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez não incluíram pois vivo aqui!

      O mundo gira a minha volta.

      Excluir
    2. Embora eu acredite q vc tem um grande acumulo de massa, n creio q seja suficiente pra gerar um campo gravitacional...

      Excluir
    3. haha! Boa!

      Mas não precisa ter muita massa. Só cérebro mesmo... É raro no planeta. "Eles" ficam curiosos. E me "estudam" como urubus "estudam" carniça.

      Excluir
  11. Acho que a diferença de um estado para outro pode estar relacionada ao índice de diagnóstico, à densidade populacional, e por último o comportamento: as pessoas serem mais ou menos precavidas.De qualquer modo esse mapa é enganoso, pois pode levar à ideia de que em um estado o risco é maior ou menor do que em outro, o que é ilusório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai me dizer que com a promiscuidade dos cariocas voce está surpreso de ser vermelhão???

      Eu não estou.

      Estou chocado com a HIPOCRISIA do Rio Grande do Sul, isso sim.

      Excluir
    2. Vc se refere aos estados como se fossem pessoas... ???

      Excluir
  12. Acre e Espírito Santo estão em situação mais confortável, se podemos dizer assim... hehee

    Já Rio Grande do Sul, Santa Catarina , Roraima, Rio de janeito e São Paulo, - este último deve ser considerado pela grande população que possui-, estão com sérios problemas.

    a Região sul, que se vangloria tanto e se considera quase uma europa, está tão infectada assim causa até estranheza .

    ResponderExcluir
  13. Seria interessante postar a data desse levantamento, se possível.

    ResponderExcluir
  14. Falta o espirito santo.

    ResponderExcluir
  15. Esses sulitas metidos a europeu ta neste estado, sem contar o índice de violência que só cresce no R. Grande do Sul, um estado quebrado e falido!

    ResponderExcluir
  16. Chorando com os doutores em epidemiologia. Diversos fatores podem ter contribuído para os resultados apresentados. Não adianta ficar supondo....

    ResponderExcluir