sábado, 24 de dezembro de 2016

James Franco interpretando mais um Gay, mas dessa vez ele será convertido para a Heterossexualidade !



É possível deixar de ser homossexual? Michael Glatze (James Franco) acredita que sim. Protagonista de Eu Sou Michael, ele começa a história como morador de São Francisco, ativista ferrenho, companheiro de Bennett (Zachary Quinto) e jornalista em uma publicação LGBTQ. Até que um trauma abala suas crenças e ele busca respostas na religião. Convidado para um culto cristão, Michael renega o passado, começa a namorar uma garota (Emma Roberts) e se diz curado por Deus.

23 comentários:

  1. Aqui a gente vê quem se diz a favor dos LGBTs apenas por mídia, mas rapidinho faz um trabalho ofensivo se oferecido dinheiro. E olha aí a "queridinha dos gays" fazendo parte disso.

    E que vergonha em Zachary? Que vergonha você participar disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, essa Emma Roberts não me desce!

      Excluir
    2. Te cala bissex. Faz um favor, quando se tratar de homossexuais não comenta. Já há dezenas de comentários de gays que fuderam bucetas

      Excluir
    3. VOCÊS AINDA NÃO VIRAM O FILME,EU DUVIDO QUE O ZACHARY QUINTO FARIA UM FILME OFENSIVO.

      Excluir
    4. Filme baseado em fatos reais.

      Excluir
  2. Amo o James, mas confesso que não me animei nem um pouco pra ver esse filme.

    ResponderExcluir
  3. Calma gente, pode ser que no fim do filme o personagem perceba que não existe "cura"e continue sua imutável vida de gay.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tu assistiu o filme sua otaria p falar?

      Excluir
    2. Seu grosso... Eu disse "pode ser que" . Vai estudar, aprenda interpretar texto. Mas se percebe o teu nível de educação.

      Excluir
  4. Ex gay de cu é rola.

    ResponderExcluir
  5. Agora que o Trump ganhou a midia vai ficar mais homofóbica ainda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Trump agora tm o poder de mandar no pensamento de todo cidadão americano agora ele virou onipresente? se lasca aí....

      Excluir
  6. Parece que tem gente que é acéfala. E bem óbvio que o filme vai fazer um paralelo do fanatismo religioso é os gays.Não vai ser uma propaganda da cura gay, vai ser um esclarecimento da manipulação do fanatismo na vida de homens gays que se encontram em dúvida ou pressionados pela sociedade.No final e claro que o personagem vai perceber que ele e realmente gay, e que Deus não o culpa por isso.Parece tão simples de entender, mas a falta de interpretação e tão grande que a pessoa diz que o James se virou contra a comunidade por dinheiro.Vão estudar um pouco, aprender a observar é a interpretar as situações de maneira correta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ningueém aqui tem bola de cristal pra adivinhar nada, deixa de ser chato!

      Excluir
    2. Não precisa ter bola de cristal, é só ter um pouquinho de inteligência.
      O Gus Van Sant, produtor do filme, é gay assumido. Assim como o Zachary. E o Franco é reconhecidamente gay friendly há anos.
      Portanto, é óbvio que o filme não é uma apologia à cura gay, mas justamente o contrário. Pensem um pouco, por favor.

      Excluir
  7. Eu tinha uma amiga cristã, eu contei que sou bissexual, ela então me pergutnou se eu sabia o que era bissexual. Eu fiz uma cara de what?? Eu sabia da crença dela, mas eu achava que ela era mais moderna, pois ela tinha amigos, ledo engano. Então ela perguntou se eu sofri violência sexual na infância, quando fazem essa pergunta pra mim, eu fico super ofendido, pois eu nunca sofri trauma pra isso interferir na minha sexualidade, isso é coisa de gente ignorante. Enfim, a cristã disse que não concordava, ficou na esperençã de eu estar confuso, me falou um monte de coisas chatas e desaforos, eu bloquei ela do meu whatsapp e não falei mais com ela, já que ela não me respeita. Eu passei por duas psicologas e as duas ficaram do meu lado, uma delas era evangélica mas largou a igreja na faculdade de psicologia, ela mesma me disse que igreja deixa as pessoas mais ignorantes

    ResponderExcluir
  8. O filme é baseado numa história verídica. Esse Michael Glatze existe mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Vou aguardar pra ver o filme mas se for como eu estou pensando vai ser uma grande decepção com o Franco, o Zachary, a Emma e o Gus Van Sant, pq esse Michael é um ex ativista gay que hoje condena a homossexualidade com base na religião.

    ResponderExcluir
  10. Ao contrário do que alguns estão pensando, a mensagem que o filme passa é uma crítica (e não uma apologia) à "cura" gay.
    Vejam o elenco, os produtores, pesquisem no google o nome e a história deles, se não conhecem, depois tirem suas conclusões.

    ResponderExcluir
  11. Alguem sabe ond eencontrar o filme dele Leather Bar ?????? a meses procurando e so link falso

    ResponderExcluir
  12. Alguem sabe ond eencontrar o filme dele Leather Bar ?????? a meses procurando e so link falso

    ResponderExcluir